Social Icons

15 de jan de 2015

PRIMEIRO CASAMENTO HOMOAFETIVO DE ITAPECURU

Imagem Ilustrativa
O primeiro casamento entre pessoas do mesmo sexo realizado em Itapecuru-Mirim, aconteceu  no Cartório do 1º Ofício no dia 12 de junho de 2014 – Dia dos Namorados – da professora Joseane Fonseca Silva com a cabeleireira Rosa Núbia Carvalho.  Silva.

As companheiras em questão são mulheres independentes,  inteligentes e determinadas. Rosa Núbia, com 51 anos, era viúva com dois filhos adultos e dois netos e com vários anos exercendo a profissão de cabeleireira, muito popular e querida na cidade e Joseane com 39 anos que tem um filho é professora muito bem conceituada na sociedade.Em bate papo descontraído com Rosa Núbia, para elaboração do texto, esta afirmou que assumiu a sua homossexualidade há doze anos e enfrentou muita discriminação em Itapecuru-Mirim, quando teve outro relacionamento. 

As pessoas viravam o rosto e  cochichavam à sua passagem. Muitos maridos não deixavam suas esposas frequentarem seu salão, porém ela não se deixou abater e continuou seu trabalho de cabeça erguida com dignidade e respeito a todos, e que hoje as coisas mudaram porque  soube dividir o profissional do pessoal. 

Ela já está com Joseane há oito anos, em um relacionamento maduro, responsável, comprometido inclusive com as famílias que as apoia sem restrição. Continuando, a cabeleireira falou que nada mudou depois do casamento, elas continuam morando em casas separadas por conveniência das famílias mas a união mais fortalecida pela legalidade, com o contrato da união conjugal instável. Quanto ao processo burocrático, pela questão do pioneirismo, afirma que não houve dificuldade, que foram bem acolhidas no cartório e tudo ocorreu como previsto, dentro da normalidade.

O reconhecimento de casamento entre pessoas do mesmo sexo no Brasil como entidade familiar, por união estável, foi declarado  pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 5 de maio de 2011, dando direito legal a esses uniões. No dia 14 de maio de 2013 o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou uma resolução que obriga todos os cartórios do país a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. 

Informações do Jornal de Itapecuru
 
 
Fawkes Web e Serviços