Social Icons

25 de nov de 2017

Hospital Regional "Adélia Matos Fonseca" de Itapecuru ganha posto de registro de nascimento

Em Itapecuru-Mirim, com uma média de 156 partos realizados por mês, o Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (SES), recebeu o 17º Posto de Registro Civil de Nascimento (RCN) inaugurado pelo Governo do Maranhão.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e Secretaria de Estado da Saúde (SES), assim como a Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão, o Comitê Estadual de Combate ao Sub-registro, cartórios e prefeituras municipais, intensifica o processo de identificação dos cidadãos no Maranhão para erradicar os sub-registros garantindo o avanço na promoção da saúde, cidadania e direitos humanos.

Nesta quinta-feira (23), antes da alta hospitalar, Roseane Oliveira dos Santos e Francisco Ribeiro dos Santos, pais do recém-nascido Levi dos Santos Filho, registraram o pequeno no Posto de Registro Civil de Nascimento (RCN) do Hospital Regional Adélia Matos Fonseca.

“É muito bom poder ter esse serviço no hospital, é melhor para gente. Agora vamos sair daqui direto pra casa. Antigamente, a gente tinha que ir ao cartório, depois de alguns dias, agora não, a gente já sai com o documento nas mãos”, conta Roseane Oliveira. Levi nasceu no último 22 de novembro.

Para o casal Raimundo da Silva Santos e Maria de Fátima Costa Santos, pais da recém-nascida Mirela Costa Santos, a iniciativa só vai trazer benefícios para a população. “É muito bom. Foi fácil e rápido registrar a nossa filha”, afirmou Raimundo.


Posto de Registro Civil

O secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves da Conceição, participou, nesta quinta-feira (23), da solenidade de entrega do 17º Posto de Registro Civil de Nascimento (RCN), inaugurado pelo Governo do Maranhão, no Hospital Regional Adélia Matos Fonseca, em Itapecuru-Mirim.

O principal objetivo é agilizar o processo de identificação dos cidadãos e erradicar os sub-registros em todo o estado, como explica o secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves da Conceição. “O registro de nascimento é um direito civil primário para que todo cidadão e toda cidadã tenha acesso a outros direitos, como saúde, educação, previdência, entre outros, e, por isso, a importância de iniciativas como esta”, explicou Francisco Gonçalves.

Assistência em saúde

Dos 1.560 partos realizados pela equipe do Hospital Regional Adélia Fonseca – no período de janeiro a outubro deste ano, 689 foram normais e 871 cesáreos. Além dos nascimentos, o hospital realizou 8.445 internações, 463 cirurgias elitistas e 144.305 atendimentos entre exames e procedimentos ambulatoriais.

Para a diretora administrativa da unidade de saúde, Edineia Assis Abreu, a medida garante mais celeridade e eficácia no monitoramento dos registros de nascimento, que pode ser feito pela mãe da criança, o pai ou pessoa responsável, antes mesmo da alta hospitalar, bastando apresentar a Declaração de Nascido Vivo (DVN), que é o documento emitido pelo hospital.

“Vai ajudar muito, porque muitas pessoas em Itapecuru não têm documentação. Tivemos um caso recente que todos os filhos não eram registrados. Para o hospital essa realidade era um problema, pois prejudicava o atendimento. Hoje, com a instalação desse posto de registro civil dentro da unidade, começamos a descobrir mais cidadãos. Foi uma oportunidade que nos deram e estamos abraçando esse ideal”, destacou.

Da radação
 
 
Fawkes Web e Serviços