Social Icons

2 de dez de 2017

Estudantes de Itapecuru-Mirim conhecem o Pleno do Tribunal de Justiça

Os estudantes foram recebidos no Tribunal de Justiça pelo desembargador Jorge Rachid
Alunos do ensino fundamental das escolas Mariana Luz, Unidade de Itapecuru-Mirim e Manfredo Viana – todas do Município de Itapecuru-Mirim – conheceram o Pleno do Tribunal de Justiça do Maranhão acompanhados por professores e diretores.

Eles foram recebidos pelo desembargador Jorge Rachid que, na ocasião, fez uma explanação simples e direta sobre o combate à corrupção, além de explicar sobre o funcionamento do Judiciário maranhense, visando semear nos jovens itapecurusenses o desejo de alcançarem um futuro melhor para si e sua comunidade.
A vinda para São Luís com objetivo de visitar o TJMA e a Procuradoria Geral de Justiça foi uma das premiações do Concurso de Redação, cujo tema foi “Combate à Corrupção”, que também contemplou os três primeiros colocados de cada grupo com tablets.

A iniciativa de levar a temática às escolas faz parte do projeto “Combate à Corrupção: capacitando o cidadão”, idealizado pela Promotoria de Justiça de Itapecuru-Mirim, que contou com a parceria da 1ª Vara daquela comarca, por meio de palestras ministradas pela juíza Laysa Mendes.

“É muito importante o Judiciário e o Ministério Público promoverem essa interação com crianças e adolescentes por meio de ações desenvolvidas nas escolas, o que incentiva o exercício da cidadania e o senso crítico sobre o combate à corrupção”, reforçou o desembargador Rachid.

EIXOS DO PROJETO – A promotora de Justiça Flávia Silva conta que, com apenas cinco meses de existência, o projeto é desenvolvido em três eixos simultâneos: o primeiro nas escolas com o nome “Semeando Amanhã”, por meio de palestras; o segundo para os controladores sociais, com dois ciclos de capacitação e lançamento de uma cartilha de autoria da 1ª Promotoria, além do diálogo com a Câmara Municipal; o terceiro, ainda em construção, busca a formação dos gestores do amanhã, selecionando um grupo de até dez jovens para fazer a interlocução entre a sociedade civil e os poderes públicos, com vistas a efetiva participação da comunidade no orçamento participativo.

Palestras – As palestras aos estudantes do ensino fundamental ministradas pela juíza Laysa Mendes nas escolas Mariana Luz, Unidade de Itapecuru-Mirim e Manfredo Viana, ocorreram nos turnos matutino e vespertino, durante o mês de agosto.

A magistrada destacou que as explanações buscaram “provocar uma autocrítica acerca do tema corrupção, com o escopo de plantar uma semente de combate a esse mal, que não se limita apenas às esferas do poder ou à política, possuindo também reflexos e sinais no cotidiano dos brasileiros, gerando nestes uma condescendência com os atos de corrupção em geral, cujos efeitos atingem toda a sociedade em suas necessidades mais básicas, como segurança, saúde e educação.”

Para Tiago Nascimento, 14 anos, da Unidade Escolar Professor Manfredo Viana, a viagem a São Luís despertou ainda mais o gosto pelos estudos e a vontade de combater a corrupção que está impregnada em todas as áreas.
Na opinião da professora Ana Sandes, a reflexão que fica para os gestores e professores é que a sociedade só muda quando as pessoas que nela vivem mudam, a exemplo da mudança trazida pelo projeto de combate à corrupção nas escolas.

Informações da assessoria de comunicação do TJMA
 
 
Fawkes Web e Serviços